sábado, 24 de dezembro de 2011

ENQUANTO GARANTE O PRESENTE, ENTIDADE PREPARA O FUTURO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DA PERIFERIA

Por Célia Ribeiro

O espírito solidário da comunidade, aliado aos projetos socialmente responsáveis das empresas, encontrou solo fértil para a consolidação de um dos mais importantes trabalhos filantrópicos voltados às crianças e adolescentes da periferia de Marília. Perto de completar cinco anos de existência, a Associação Amor de Mãe mantém uma bem organizada estrutura de atendimento às famílias em situação de risco da Favela Argolo Ferrão e imediações do Jardim Califórnia, garantindo o dia de hoje, mas de olho no futuro.

Profa. Lúcia Helena de Souza acompanha aluna
A entidade presidida por Marluci da Silva Gripa e coordenada por sua filha, a professora Tammy Regina Gripa, foi apresentada em reportagem desta página na edição de 16 de maio de 2010. De lá para cá, o trabalho das voluntárias, que começou pela Pastoral da Criança da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, cresceu e apareceu. Além das mães de baixíssima renda e seus filhos, a ONG passou a acolher crianças de trabalhadoras que não tinham onde deixar os filhos fora do período escolar.


Na ampla área verde, que aos poucos vai recebendo melhorias, está o prédio principal onde funcionam a oficina de costura e a padaria, responsáveis pela geração de renda das mães atendidas pelo projeto, além da estrutura educacional destinada às crianças e adolescentes que têm reforço escolar com duas professoras, de manhã e à tarde, bem como aulas de espanhol, flauta, coral, balé e capoeira.

SONHANDO ALTO

Perfeccionista, Tammy Gripa conta que não perde uma chance de profissionalizar as mães da entidade: “Sempre que surge um curso de salgado, de panetone etc, a gente envia as mães para que elas se aprimorem, produzam com mais qualidade e mantenham a clientela”. Atualmente, além dos pães já conhecidos, a padaria passou a produzir uma completa linha de integrais (pães de vários tamanhos), fatias húngaras, sonhos, lua-de-mel, chocotone e panetone.

Panetones e chocotones fazem muito sucesso
Em média, as mulheres fabricam 150 pães por dia, além dos outros produtos. Elas vendem nas ruas, no comércio e em alguns pontos, como a Igreja Nossa Senhora de Fátima, onde levam as mercadorias fresquinhas aos sábados. Recentemente, passaram a aceitar encomendas para salgados (bolinhas de queijo, esfirras, rissoles, coxinhas) que entregam para congelar ou fritam para as festas.


Hoje, cerca de 20 mães são assistidas pela entidade. Elas recebem quase um salário mínimo e uma cesta básica, enquanto os filhos permanecem na Associação onde realizam as tarefas, fazem atividades culturais e esportivas, lancham, almoçam e tomam banho antes de irem à escola.

ESCOLA DE COSTURA


Outra fonte de renda das mulheres é a oficina de costura. Bem montada, a estrutura permite todo tipo de trabalho industrial: de confecções a sacolas retornáveis, a ONG recebe as encomendas, orienta o trabalho e as mães ganham pelo serviço, incrementando o orçamento familiar.
Tammy acompanha de perto o trabalho
De olho neste mercado que têm mão-de-obra limitada, Tammy anuncia para 2012 os planos para criar uma “Escola de Costura”. Dessa forma, empresários do setor que quiserem investir na formação de mão-de-obra capacitada, poderão procurar a entidade, adotar uma adolescente dando uma ajuda de custo mensal (130 a 150 reais) mais uma cesta básica durante 04 ou 05 meses. Depois, é só abrir estágio para a aluna na empresa que poderá ser contratada e permanecer na profissão.

Bebê observa a mamãe em ação
“Sabemos que estão acabando as costureiras. A gente ouve dos donos de confecção que as mais velhas estão se aposentando e não tem outras para colocar no lugar. Com a escola nós ajudaremos essas meninas que não têm uma profissão e também colaboramos com as empresas que terão mão-de-obra de qualidade porque aqui nós trabalhamos não só os ensinamentos do ofício, mas também a postura delas”, assinalou.


CRIANÇA FELIZ


O corre-corre das crianças na hora do almoço mostra que energia elas têm de sobra. A explicação vem da coordenadora Tammy: “Criança bem alimentada é criança feliz. Percebemos que as crianças que atendemos estão melhorando 100% na escola. Elas estão mais concentradas, obedientes e bem nutridas”.
Alegria na hora do almoço
Tammy observa que as atividades extracurriculares são de grande auxílio: “Para dançar balé a menina precisa guardar a coreografia, os passos; para cantar, as crianças têm que gravar a música, então tudo isso reflete na escola, no aprendizado. Além disso, com as famílias assistidas, as crianças têm uma situação muito melhor em casa”.
Horta orgânica garante verduras fresquinhas


Para 2012, ela espera conseguir ajuda para concluir a quadra poliesportiva. Entre tantas empresas que colaboram com a entidade, o Supermercado Confiança proporcionou um evento que arrecadou 25 mil reais. Faltam outros 20 mil reais para finalizar a quadra e partir para os planos de iniciar as crianças e adolescentes nos esportes e, paralelamente, nas aulas de informática que serão oferecidas.


Tammy citou o apoio de diversas empresas e instituições, entre as quais o Supermercado Tauste, que à época do Troquinho Solidário permitiu a aquisição de muitos equipamentos para a ONG. A Prefeitura passou a pagar uma subvenção de dois mil reais por mês, cede as professoras e o alimento para as refeições das 20 mães e 84 crianças.

Para 2012, a Associação Amor de Mãe espera consolidar os projetos em andamento, investir firmemente na profissionalização das meninas e adolescentes e dar às famílias a possibilidade de sonharem com um futuro melhor que, se depender de energia e vontade, certamente virá.

Para conhecer a entidade, visite: Rua João Francisco do Nascimento, 320, próximo ao Condomínio San Remo. O telefone é (14) 34225525. A entidade aceita todo tipo de doação, principalmente alimentos e produtos para a padaria industrial (açúcar, farinha, leite e óleo).


* Reportagem publicada na edição de 24.12.2011 do Correio Mariliense

OBS: A primeira reportagem, publicada em 16.05.2010 pode ser lida AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário